AERO IS EVERYTHING

Não estamos interessados em declarações hiperbolizadas de marketing. Para nós, aero é mesmo tudo. É um etos incorporado em todas as decisões de design que tomamos, e é por ele que continuamos a assinalar novos padrões para os produtos mais velozes do mundo.

AERO IS EVERYTHING

Não estamos interessados em declarações hiperbolizadas de marketing. Para nós, aero é mesmo tudo. É um etos incorporado em todas as decisões de design que tomamos, e é por ele que continuamos a assinalar novos padrões para os produtos mais velozes do mundo.

INOVAÇÃO

#aeroiseverything

Arrasto aerodinâmico é a maior força que afeta o ciclista, e visto que a única forma de a eliminar por completo é parar o movimento, reduzi-la ao máximo é critico para te tornar mais veloz. é por isso que não poupámos esforços a reunir uma equipa de especialistas em aerodinâmica, e demos-lhes todas as ferramentas que nos pediram para levar a cabo a sua tarefa – Dinâmica dos Fluidos Computacional (em inglês Computational Fluid Dynamics — CFD), Aquisição de Dados na bicicleta (DAQ), e claro, construindo-lhes o seu próprio Win Tunnel no nosso campus em Morgan Hill, na Califórnia. Tendo tudo isto à disposição das mentes mais inovadoras da indústria faz com que a inovação aerodinâmica ocorra a uma velocidade superior, e torna-te mais veloz que nunca em menos tempo.

Chris Yu, Mark Cote, Chris D’Aluisio, Camron Piper e Chuck Teixeira—entre eles, este “tour-de-force” aerodinâmico tem mais de 50 anos de experiência aero e bem mais de 20 000 horas em túnel de vento. A sua experiência e presença não só é única, como também é uma componente chave no avançar da ciência em novas formas. Afinal de contas, quando o teu tempo no túnel de vento apenas requer que atravesses a estrada, e não apanhar um avião, tu podes tornar mais velozes guarda-lamas ou Campeões do Mundo de Downhill. É a liberdade total, e isto originou uma cultura de inovação nunca antes vista na indústria do ciclismo. Por outras palavras, a nossa equipa é livre de espicaçar os ideólogos, e desafiar dogmas de design, em vez de marcar um dia no túnel de vento de San Diego e de apenas ângulos de guinada para reforçar aquilo que os nossos modelos haviam previsto.

FERRAMENTAS DO OFÍCIO

O Win Tunnel

Claro que, o pivot de toda a nossa operação aero é o nosso Win Tunnel. Desenhado e construído de acordo com as nossas especificações exatas, é o melhor túnel de vento de ciclismo do mundo. Otimizámo-lo para velocidades reais de bicicleta, e é grande o suficiente para nos permitir testar múltiplos atletas em simultâneo, simulando situações de grupo, como o pelotão ou um contrarrelógio de equipa. A sua proximidade à equipa permite-nos testar convenientemente artigos sem a preocupação do custo ou tempo, e isso dá-nos a liberdade para testar tudo aquilo que fazemos – desde o capacete mais simples, a roupa, e tudo o resto. E já que também é utilizado como uma instalação educativa, existe espaço para que os nossos técnicos de ajuste e distribuidores observem e aprendam dos testes, que impactam diretamente o desenvolvimento de produto e a tua experiência na loja.

A FreeFoil Shape Library

Surpreendentemente, a nossa busca pelas formas perfeitas dos tubos nem sempre começa no Win Tunnel. Com a mais recente Venge, iniciámos com uma nova tecnologia que chamamos de FreeFoil Shape Library. Os nossos engenheiros escreveram um algoritmo de otimização e utilizaram um supercomputador (sim, usámos mesmo um supercomputador) para ajudar a criar formas de aerofólio com diferentes pesos, áreas de superfície, e alvos estruturais. Armados com esta biblioteca de formas, todas com diferentes proporções, fomos capazes de as ligar a diferentes partes da bicicleta e testar uma variedade de configurações de modo a determinar a configuração mais rápida no Win Tunnel. E avançando, esta metodologia está a ser aplicada a quase todas as nossas bicicletas e componentes. Por isso, com uma pequena ajuda da supercomputação de Silicon Valley, descobrimos a nova forma de velocidade.

DINÂMICA DOS FLUÍDOS COMPUTACIONAL (CFD)

Não estamos sozinhos no uso de CFD, o que permite a aerodinamicistas como Chris Yu, jogar num espaço virtual como uma gama de formas e superfícies. Com isso, podemos facilmente simular o fluxo de vários fluídos sobre as superfícies da sua escolha, para testar a sua performance aerodinâmica. A CFD permite-nos ver, através de simulação, coisas que não podemos ver no mundo real, tais como fragmentos de arrasto num quadro. É uma forma bastante útil de prever o comportamento aero. No entanto, onde o nosso uso diverge da norma, é que somos capazes de descartar desenhos que são fracassos antes de desenvolvermos protótipos para testar no Win Tunnel. Claro que, estamos numa posição única, já que somos capazes de desenhar e testar em CFD de manhã, imprimir em 3D um protótipo da parte da tarde, e testar no Win Tunnel antes que o dia termine.

AQUISIÇÃO DE DADOS (DAQ)

E depois há o nosso sistema DAQ. Usado tanto em estrada como no velódromo, o DAQ retira dados de potência, velocidade, posição do ciclista, e a direção do vento, e mede o verdadeiro coeficiente de arrasto aerodinâmico no ciclista. Informação retirada destes testes permitem-nos aconselhar a nossa equipa de Body Geometry Fit, pessoal de competição, e os próprios atletas, sobre mudanças nas suas posições que irão melhorar a performance. E enquanto o Win Tunnel pode certamente ser mais preciso, não existe nada como combinar aquilo que aprendemos aí com leituras no mundo real.