This website uses cookies. By continuing to use this website you are giving consent to cookies being used. For information on cookies and how you can disable them visit our Privacy Policy.

SKIN IN THE GAME

Dar vida a uma ideia nunca é fácil, e quando essa ideia é a roupa mais rápida do mundo, é ainda mais difícil. Mas contra todas as probabilidades, a roupa S-Works Evade consegue ser exatamente isso, e para celebrar essa luta nós levantamos a cortina para mostrar o processo que a tornou realidade.

Tudo começa com uma pergunta: Como podemos servir melhor as necessidades dos ciclistas, especialmente quando essa necessidade é andar mais rápido? É uma pergunta simples cuja resposta pode demorar anos. E no caso da roupa S-Works Evade, demorou três anos para criar o conceito, desenhar, testar, e repetir tudo de novo. Repetir mais uma vez, e repetir de novo, e depois mais algumas vezes. Mas antes que esse ciclo de nascimento pudesse começar, a roupa tinha que ganhar vida no ecrã de um computador perto da janela, passando pela segurança, no segundo andar de um prédio de tamanho razoável em Morgan Hill, Califórnia. E embora a etiqueta declare “Desenvolvido na Califórnia”, seria mais apropriado se viesse um “por”, seguido dos nomes e mãos que a trouxeram à vida, como Anna, McKenzie e Peter. Mas vamos com calma.

O fundamento de qualquer peça de roupa chama-se padrão. Imagine os seus jeans favoritos segmentados num quebra-cabeças de oito peças. Cada uma das peças compreende o padrão completo, com cada uma servindo como base para a forma e medida precisas de como os tecidos serão cortados para o produto final. Agora, multiplique essa ilustração por três ou quatro, e talvez comece a compreender a complexidade de desenvolver o padrão para uma roupa de ciclismo. E, prosseguindo com o quebra-cabeças, cada uma dessas peças tem que ser cortada com precisão, para depois se unirem da maneira certa. Na produção de roupas, a criação do padrão é um dos aspectos mais demorados e difíceis, e muitos designers acabam por optar por terceirizar essa responsabilidade para um produtor, passando-lhes apenas uma visão geral do que querem. Obviamente, essa estratégia de produção não estava em harmonia com a visão da nossa roupa. Ao invés disso, estamos equipados para desenvolver todo o processo em nossa sede em Morgan Hill.

TUDO COMEÇA COM UMA PERGUNTA: COMO PODEMOS SERVIR MELHOR AS NECESSIDADES DOS CICLISTAS, ESPECIALMENTE QUANDO ESSA NECESSIDADE É ANDAR MAIS RÁPIDO?

Se tens experiência em design industrial, provavelmente estás familiarizado com um software de modelagem chamado CAD. Essencialmente, o CAD permite que designers tracem precisamente os pontos de um design para criar um modelo digital exato. Para o design de padrões, existe um software parecido que permite que os nossos designers criem padrões de roupas com um grau de precisão inacreditável. Essa ferramenta é chave, já que aumenta a velocidade dos ajustes durante o processo de acerto-e-erro da produção. Também nos permitiu acomodar e projetar melhor os vários níveis de elasticidade dos diferentes tecidos que compõem a roupa. O que nos leva a um passo estratégico no design: selecionar e testar os tecidos.

Antes que um protótipo possa ser construído, ou até mesmo antes do padrão digital ser concluído, os tecidos têm que ser testados no nosso Win Tunnel (Túnel de Vento) para verificar se será possível alcançar os objetivos aerodinâmicos. É aqui que nos encontramos com uma distinta vantagem sobre todos os outros designers de acessórios de ciclismo no mundo: temos o nosso próprio túnel de vento específico para ciclismo, a alguns metros de distância. Normalmente, se uma roupa chega a ser testada num túnel de vento, os designers têm que agendar um tempo precioso e limitado num túnel que fica muito longe do seu atelier. Num espaço de tempo caro e curto, terão que testar apressadamente protótipos funcionais, e então voltar para casa para fazerem os ajustes com o que aprenderam. E sem entrar muito na questão do custo do ciclo de produção, poucas empresas possuem recursos para repetir esse processo mais que duas vezes, se tanto. A vantagem do Evade está no fato de que fomos capazes de integrar os testes no túnel como parte do processo de design, já que temos a habilidade única de usá-lo quando quisermos. Então quase podes dizer que a roupa foi projetada no Túnel de Vento, ou como nós dizemos, ela é Desenvolvida pelo Túnel de Vento.

Para demonstrar a importância disso, testámos centenas de possíveis tecidos em cilindros no túnel para determinar o seu potencial aerodinâmico. E uma vez que os materiais foram selecionados, foram incorporados na modelagem computadorizada, isso é vital, já que os tecidos terão uma densidade de massa linear e orientação de fibra diferentes e, consequentemente, diferentes níveis de elasticidade. Então enquanto criávamos o design, fomos capazes de colocar e moldar materiais de forma previsível, melhorando tanto a aerodinâmica como a modelagem em geral. Vamos saltar alguns meses desse vai-e-vem, e o padrão digital está pronto para se tornar um protótipo.

No andar logo abaixo da equipa de design está o nosso estúdio de vestuário. É aqui que o digital se torna tangível. Os padrões computadorizados são impressos e cortados em escala, e então a equipa pode começar a cortar os tecidos pré-selecionados no tamanho certo. A partir daqui o passo lógico seria começar a montar esses pedaços à mão para formar um protótipo, e então vestir esse protótipo funcional num modelo para fazer observações e ajustes. E aqui temos mais um diferencial, e não é algo óbvio. Todos os dias, a massa de colaboradores da Specialized vai para as ruas de Morgan Hill para o nosso lendário “lunch ride”. Então, um protótipo é montado e ajustado pela manhã, testado no “lunch ride”, recebe-se um feedback, e ao final da tarde, um protótipo melhorado está pronto para ser testado novamente. Isso assegura-nos a possibilidade de ajustar a modelagem da roupa antes de qualquer outra coisa, possibilitando ajustes no comprimento das mangas, abertura das pernas, fechos zip, posicionamento da camurça e tudo que possas imaginar.

E, com um modelo funcional com o qual a equipa e os ciclistas estão satisfeitos, voltamos para o túnel de vento para os testes aerodinâmicos. É aqui que grandes avanços são feitos, e é onde os sonhos dos nossos designs iniciais se tornam realidade. Assim como fizemos com a Venge ViAS, não considerávamos nenhum detalhe da roupa pequeno demais quando ganhos marginais eram possíveis. Isso significava manipular o design baseado nas informações obtidas nos testes no túnel. Portanto, aperfeiçoar a localização das costuras para o melhor ajuste possível, posicionar estrategicamente o tecido Dimplex nos ombros, soldar as costuras, eliminar as sobras nas aberturas dos braços – o que possas imaginar, provavelmente fizemo-lo no túnel de vento.

ENTÃO QUASE PODES DIZER QUE A ROUPA FOI PROJETADA NO TÚNEL DE VENTO, OU COMO NÓS DIZEMOS, ELA É DESENVOLVIDA PELO TÚNEL DE VENTO - WIN TUNNEL ENGINEERED.

Esses testes também nos levaram a avanços essenciais, muitos dos quais nunca tinham sido feitos antes. Pega como exemplo a construção dos ombros do Evade, onde vais notar a ausência de uma costura frontal. Normalmente, essa parte requere que os braços sejam partes separadas, e isso significa mais costuras e um ajuste menos preciso. Os nossos testes sugeriram que, ao eliminar essa costura, a roupa teria ganhos aerodinâmicos significativos.

Isso resultou no nosso design patenteado, mas mais importante, após anos de testes no túnel de vento, ajustando os designs digitalmente e no estúdio, e recebendo o feedback do mundo real dos nossos atletas em campo, temporada após temporada, podemos concluir que a roupa S-Workds Evade vai poupar 96 segundos ao longo de 40 quilómetros para um ciclista normal.

Como todos os grandes produtos, chega o momento em que eles têm que crescer e tornarem-se produtos finalizados na fábrica. No entanto, descobrimos que as poucas fábricas que estavam à altura da nossa qualidade ficavam muito distantes. Normalmente, os designers enviam os padrões para os produtores, que criam e avaliam o processo de produção. Porém, estranhamente muitos produtores tomam certas liberdades com o design para acelerar a produção de acordo com a capacidade das suas fábricas. Dada a especificidade do nosso design, isso complicava a produção, sem falar no facto de que a nossa intenção era criar 11 tamanhos para essa roupa. E isso era de extrema importância, porque esse grande leque de tamanhos, que inclui as variações Short, Standard e Tall (pequeno, normal e alto) em todos os tamanhos, assegura que o encaixe no corpo do ciclista será exatamente como foi testado no túnel de vento. O resultado? Economia de tempo previsível e igualitária para qualquer ciclista. Após anos de duro trabalho, não deixaríamos um produtor tirar um milissegundo sequer dos ganhos de 96 segundos dos ciclistas. Então, não surpreendentemente, a nossa busca pela perfeição levou-nos para a terra natal de bens maravilhosamente bem feitos – Itália. Aqui encontrámos um parceiro capaz de entregar a nossa visão para o mundo com todos os detalhes, uma após a outra, sem exceção.

É um longo caminho para a perfeição, e com certeza não é tão glamoroso como um painel de juízes de celebridades ou um show da Fashion Week, mas a roupa S-Works Evade incorpora tudo o que sabemos – paixão, motivação, obsessão, aerodinâmica, e o bom e velho trabalho duro. Ela representa o que acontece quando o talento motiva talento, uma equipa esforçando-se cada vez mais durante cada etapa. Porém, mais importante ainda, os anos de trabalho duro produziram a peça de roupa de ciclismo mais rápida alguma vez feita, e isso beneficia qualquer ciclista ávido por velocidade.